Zumbido no ouvido

Saiba mais sobre a história da clínica e o que podemos fazer por você

Na medicina, o zumbido constante no ouvido também é chamado de tinnitus. Na maioria dos casos, os ruídos aparecem como consequência de um processo de perda auditiva, que pode ser causado pelos mais variados problemas e hábitos.

Os principais são: perda auditiva relacionada à idade; exposição a ruídos altos, tanto no lazer quanto no trabalho; bloqueio por cera; alterações dos ossículos da audição; doença de Ménière e neurinoma do acústico (tumor raro que acomete o nervo auditivo).

Doenças de outros sistemas também apresentam relação direta com o zumbido, entre elas estão: distúrbios da articulação têmporo-mandibular e outras alterações odontológica; alterações metabólicas dos açúcares (como o diabetes), gorduras e deficiência de vitaminas; alterações hormonais na tireóide e hormônios sexuais; hipertensão arterial mal controlada e arritmias. Não devem ser excluídos a depressão e a ansiedade.
O som

O som da maioria dos zumbidos é agudo com volume entre três e sete decibéis (db), valor considerado bastante baixo. Somente como termo de comparação, o ruído da respiração, que é quase inaudível, fica em torno de 10 db, enquanto o do sussurro atinge cerca de 20 db. Na verdade, um som só começa a ficar desconfortável para alguém com audição normal quando chega perto dos 100 db, ou seja, próximo do barulho de uma motocicleta.
O valor do som em decibéis, entretanto, não tem nada a ver com o incômodo que ele causa. O grau de desconforto é notadamente subjetivo.

Tratamento
O tratamento depende principalmente da causa original do zumbido. Aparelhos de audição ajudam em alguns casos, já que, quando se passa a ouvir melhor, a percepção daqueles sons desconfortáveis diminui.
Em caso do uso de medicamentos, apenas um otorrino pode dizer qual a droga mais indicada para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento.

Prevenção
Embora nem sempre seja possível prevenir o zumbido, determinadas atitudes preservam a audição e, assim, impedem que ele apareça em virtude de danos ao ouvido. Evite, por exemplo, usar fones por mais de duas horas consecutivas e não extrapole o volume médio indicado em qualquer equipamento eletrônico.
Se tiver que ficar exposto a volumes acima de 90 decibéis, use protetores auriculares. Para ter ideia, um show de rock tem, em média, 110 db e a decolagem de um avião, 130 db — se escutada do lado de fora da aeronave.
De maneira geral, adotar um estilo de vida saudável também pode proteger contra o tinnitus. Fuja do cigarro e do excesso de bebidas alcoólicas e não se esqueça de comer bem e fazer atividade física.

Gostou da leitura? Temos mais conteúdos sobre o ouvido em nosso blog! Boa leitura!