A adenoide

Saiba mais sobre a história da clínica e o que podemos fazer por você

A adenoide, conhecida popularmente como “carne esponjosa”, atua como um mecanismo de defesa contra a invasão de agentes estranhos ao organismo. Assim como as amígdalas (ou tonsilas palatinas), ela faz parte do sistema imunológico e produz anticorpos.

“São dois pequenos aglomerados de tecido linfoide que ficam localizados entre a parte de trás do nariz e acima da garganta, na região conhecida como rinofaringe”, destaca o médico da Clínica Otorhinos, Dr. Anastácio Rodrigues.

Todos nascemos com adenoide, portanto, ela não é uma doença ou um sintoma. A sua maior utilidade é na primeira infância, sendo que ela começa a crescer aos dois anos, tendo um pico de crescimento entre o terceiro e quarto ano e aos sete anos começa a diminuir de tamanho.

Problemas com a adenoide

Parte dos problemas relacionados a adenoide acontecem durante o pico de crescimento da infância, uma vez que ela pode vir a obstruir a passagem do ar pelo nariz, problema conhecido como hipertrofia de adenoide.

“Outros problemas de adenoide são a adenoidite, uma infecção viral ou bacteriana da região, e a adenoidite de repetição, que é quando ela ocorre diversas vezes”, ressalta o profissional.

Além destes, é estudada a possibilidade de a adenoide atuar também como foco de cultura de bactéria para os seios da face, o que poderia estar relacionado, entre outros problemas, à sinusite de repetição.

Tratamento

O tratamento da adenoide depende do seu tamanho e dos sintomas que ela está provocando na criança. Em adultos, normalmente não é feito nenhum tratamento específico para o aumento da adenoide, uma vez que está relacionado a outras doenças – que quando tratadas resolveriam também este problema.

Hipertrofia da adenoide

O tratamento da hipertrofia da adenoide em crianças é feito com cirurgia quando o espaço que ela ocupa na rinofaringe é maior que 70% e ela tem sintomas (ronco, respiração bucal etc.).

Não há um remédio que faça com que ela diminua, só com o passar dos anos. Contudo, quando há uma obstrução maior de 70% e a criança não é tratada com a cirurgia, ela pode ter diversas complicações, como dificuldade de desenvolvimento e baixa estatura.

Método cirúrgico

A cirurgia de retirada da adenoide, conhecida como adenoidectomia, é considerada uma cirurgia de baixo risco. É feita com uma anestesia geral e dura menos de dez minutos. Ela é feita pela boca da criança, em que é inserido um

aparelho para a curetagem da adenoide. O profissional pode inserir uma câmera pelo nariz para ajudar na visualização.

Gostou da leitura? Aproveite e acesse mais assuntos relacionados em nosso blog!